News 11/02/2021

Robôs fazem a separação de resíduos "verdes" de compostos

Na Wiedag AG, uma empresa parceira da J. Grimm AG, dá novo propósito a todos os resíduos de jardim e cozinha, transformando-os em aparas de madeira, fertilizante natural, biogás ou húmus. Antes do material ser reutilizado, os robôs de triagem por sensores garantem que o produto tenha a qualidade correta.

Limpeza de adubo com tecnologia quase infravermelha

A empresa familiar suíça processa anualmente 20.000 toneladas de resíduos de biomassa. A empresa estava procurando novas formas de atender às exigências legais internacionais e também padrões de qualidade mais altos para o produto final. Como a Wiedag já estava utilizando tecnologia STEINERT, o representante STEINERT mwn GmbH foi o primeiro ponto  de contato para encontrar uma solução de separação para um material de classificação particularmente úmido, quase molhado. O robô de classificação UniSort Unibot mostrou ser a tecnologia certa.

 

O problema: material muito úmido para a classificação com descarga de ar comprimido

Três quartos da biomassa seca, que varia de acordo com a estação do ano, vêm dos "lixos biológicos" dos municípios, bem como dos resíduos de jardinagem dos jardineiros locais. O tamanho do grão após a trituração e peneiramento é de 60 a 80 mm. Este material é então misturado com resíduos líquidos de alimentos, aquecido e fermentado no fermentador por dez dias. Enquanto os gases produzidos são utilizados na própria unidade combinados ao calor e energia da empresa para gerar energia limpa, o material é homogeneizado a tal ponto que podem ser criadas frações a partir dele para a classificação:  alguns como chorume para uso como fertilizante e outros como material fermentado sólido em grãos de tamanho <25 mm e 25 a 60 mm. Mas mesmo quando extraídas, estas frações são apenas 40% de matéria seca, o que as torna muito úmidas para a classificação padrão.

 

O robô de classificação: mais do que um novo princípio de classificação

"Normalmente, para este tipo de resíduo de biomassa, não há nada que possa retirar os rejeitos. Você pode tirar alguns filmes com um separador com sistema circular de ar , mas só removerá os plásticos duros se também retirar a madeira. E depois ainda há vidro e metais", explica Emmanuel Hess, chefe de operações em Oetwil am See, Suíça. Juntamente com a STEINERT, eles desenvolveram assim um conceito de classificação utilizando robôs. Primeiro, o material deve ser preparado com a ajuda de peneiração e distribuição. A classificação é então realizada pelo UniSort Unibot com dois robôs delta que removem simultaneamente todos os corpos estranhos no processo "pick-and-place" ou "pick-to-pick".

Os dois processos diferem em termos do método de classificação utilizado. Junto com o método de triagem "pick and place", com o qual os clientes estarão familiarizados a partir da triagem de embalagens pós-consumo, é utilizado um novo desenvolvimento é utilizado aqui para extrair com precisão as impurezas mais finas e assim evita a classificação excessiva com métodos convencionais de classificação. Graças à sua função de autolimpeza, ele também requer pouca manutenção e foi projetado para uso permanente. Usando programas de classificação suportados por inteligência artificial (IA), além de uma combinação de sensores de cor e altura usados em outras máquinas de classificação UniSort EVO 5.0 é possível detectar a matéria estranha com um alto grau de confiabilidade na classificação.

 

Qualidade confirmada oficialmente

Desde o seu lançamento , a tecnologia de classificação tem produzido um húmus limpo, atendendo às exigências de Zurique. Estas exigências estão entre as mais rigorosas do mundo e são analisadas oficialmente várias vezes ao ano Emmanuel Hess está convencido: “Este é o primeiro de muitos projetos inovadores.”