News 05/06/2022

250.000 t de resíduos de madeira classificada para prensa de MDF mais longa da Europa

Não muito longe da histórica cidade antiga de Veneza, que está ameaçada pela mudança climática, encontra-se a sede da Fantoni Spa. Fundada em 1882, a empresa de processamento de madeira se concentra na sustentabilidade e nos materiais reciclados na sua produção há mais de 20 anos. Em 2019, a Fantoni decidiu obter esse conteúdo reciclado da sua própria produção e entrou em contato com a STEINERT. O resultado é um sistema de classificação próprio em três etapas para recuperar 250.000 toneladas de madeira com qualidade de móveis de resíduos domésticos a cada ano.

Além da pressão constante para inovar no setor, a Fantoni enfrenta uma disponibilidade cronicamente insatisfatória de madeira fresca na Itália, país de origem da empresa, bem como uma escassez de reciclagem de madeira de alta qualidade. O mercado também está exigindo produtos cada vez mais sustentáveis. Pelo menos 50 % dos painéis devem ser feitos de material reciclado até 2030. Isso torna o uso ecologicamente correto dos recursos não só sensato do ponto de vista ecológico, mas também do econômico.

 

Investindo em um futuro sustentável

A Fantoni investiu 150 milhões de euros nisso nos últimos quatro anos. O resultado são processos inovadores, logística automatizada, a prensa contínua de placas de compensado de madeira mais longa da Europa e um moderno sistema de classificação de resíduos de madeira que cria a base para uma placa de aglomerado sustentável: fibras de madeira limpa para a produção do primeiro aglomerado de fibras de densidade média (MDF) com mais resíduos de madeira do que madeira fresca.

 

Classificação magnética e tecnologia de sensores de uma única fonte

Juntamente com a STEINERT, a Fantoni desenvolveu um conceito de classificação em que as impurezas são removidas em três etapas: A tecnologia de separação magnética e corrente de Foucault libera o fluxo de material dos metais. Resíduos como vidro, pedra e plástico são retirados usando a tecnologia de raios X e infravermelho próximo. São usados somente sistemas de separação e classificação da STEINERT. As máquinas cuidadosamente selecionadas e coordenadas garantem um ótimo desempenho e, com isso, uma ótima qualidade de classificação das 250.000 toneladas de resíduos de madeira por ano.

 

Tomada de decisões objetivas

Para garantir o investimento, a Fantoni testou o seu próprio material de classificação no centro de testes da unidade principal da STEINERT em Colônia. "Essa possibilidade foi um fator decisivo importante para nós. Não apenas para obter uma garantia do desempenho da classificação, mas também para ver as máquinas em ação e nos convencermos da sua concepção. Afinal, elas devem permanecer em uso por pelo menos 20 anos", reflete Umberto Meroni, Diretor Técnico da Fantoni. "No fim, fomos convencidos pela robustez das máquinas STEINERT e pela tecnologia de detecção de objetos pretos UniSort, que se mostrou mais sofisticada do que a concorrência."

 

Cooperação com a STEINERT

Toda a fase do concepção ocorreu durante a atual pandemia, uma época com possibilidades de contato e viagens mais complexas. No entanto, Marco Fantoni, membro do conselho administrativo da Fantoni Spa, está satisfeito com o resultado e agradece o apoio da STEINERT: "Nós damos muito valor às características da STEINERT. Especialmente durante a colocação em funcionamento e a fase inicial, a STEINERT provou ser uma parceira confiável."

 

Perspectivas positivas para o futuro

Para Fantoni, este investimento representa um marco na produção de MDF, produzindo um produto mais eficiente em termos econômicos e ambientais. Pela primeira vez é possível produzir MDF com qualidade de móveis a partir de resíduos domésticos. "Ser o primeiro a desenvolver e oferecer este sistema nos dará vantagens competitivas significativas" – Marco Fantoni. A empresa mostra que tradição e inovação não são mutuamente exclusivas, mas sim dependentes, a fim de preservar a história para as gerações futuras. Mas eles não descansarão e estão de olho no objetivo de longo prazo, a visão de uma economia circular, e já estão preparando o próximo projeto.

 

Conceito de classificação em detalhes:

Classificação de metais por tecnologia de ímãs e de corrente de Foucault

A etapa de separação do metal é realizada pela STEINERT MOR e STEINERT EddyC. Os primeiros são separadores combinados, cada um com um tambor magnético de elevação e uma polia magnética transbordante. Desta forma o metal ferroso limpo e as impurezas pouco magnetizáveis podem ser removidas do fluxo de material em uma única etapa de trabalho. O separador de corrente de Foucault posterior com tambor excêntrico finalmente remove os metais não ferrosos remanescentes, tais como alumínio e cobre.

 

Tecnologia de raios X e infravermelho próximo para 98 % de pureza

Quaisquer impurezas restantes são separadas nas duas últimas etapas. Dois sistemas de classificação por raios X STEINERT XSST EVO 5.0 são utilizados para a classificação por densidade seca de, por exemplo, minerais e vidro, onde cada uma das máquinas é estruturalmente adaptada ao seu fluxo individual de material. Na fase final de processamento, os sistemas STEINERT UniSort de infravermelho próximo separam as últimas impurezas. A característica especial aqui é que mesmo plásticos pretos difíceis de serem vistos são detectados e classificados por meio de um sensor de imagem hiperespectral (HSI). Isso garante a pureza rigorosa das fibras de madeira para o processamento subsequente.