STEINERT coloca em funcionamento a primeira planta LIBS para separação de ligas de alumínio. Fornecedor completo para o processamento de alumínio apresenta as soluções na feira “Alumínio” em Düsseldorf.

Quando se trata do processamento de matérias-primas secundárias, atualmente a meta principal é a pureza. E isso não só desde a mudança na China de parar a importação de qualidades inferiores. A especialista em triagem de Colônia estabelece um marco no processamento de sucatas de alumínio: com a primeira planta de triagem LIBS da Europa, a STEINERT supre uma lacuna importante para seu cliente, um reciclador de alumínio, para que ele possa aprimorar o uso de sucatas secundárias.

Fornecedor completo para a classificação de sucatas de alumínio

Para que o alumínio possa ser reconduzido aos circuitos de reciclagem, são necessárias frações puras, que só podem ser produzidas passo a passo pelos processadores. No processo de reciclagem, inicialmente é feita a separação de metais ferrosos e não ferrosos - possível com a técnica de separação magnética da STEINERT.

No próximo passo é empregada a tecnologia chave: A transmissão de raios X separa metais leves de metais pesados. Ela produz misturas de alumínio definidas e limpas. A STEINERT XSS T vem dando provas disso há anos e representa uma tecnologia de ponta mundial.

Atualmente, para aumentar ainda mais a profundidade de triagem, há uma demanda pela combinação de vários sensores com a tecnologia de transmissão de raios X na forma da STEINERT KSS. Ela é uma plataforma na qual são usados diferentes sensores: Detecção por 3D, por cor e por indução. Além disso, o sistema ainda pode ser complementado com um quarto sensor (sensor infravermelho próximo, sensor de transmissão de raios X ou sensor de fluorescência de raios X). Para o processamento da fração ZORBA – a mistura de metais leves e pesados – os materiais são separados, p. ex., mediante tecnologia de raios X, em alumínio e na fração composta de cobre, latão, zinco, etc.

A STEINERT LSS supre a lacuna na separação de ligas

O elo que faltava na reciclagem de alumínio, responsável pela separação de sucatas de alumínio previamente triadas de acordo com suas ligas, foi colocado em funcionamento pela primeira vez e passou na prova de fogo da prática: com o sistema de triagem em linha STEINERT LSS, com o sensor LIBS, os clientes agora podem separar distintas ligas apenas com uma detecção. A LIBS – abreviatura de Laser-Induced Breakdown Spectroscopy (espectroscopia de degradação induzida por laser) – é uma tecnologia destinada à análise de elementos. Por padrão, os métodos de calibração armazenados no instrumento de medição analisam a concentração dos elementos de ligas Cu, Fe, Mg, Mn, Si, Zn e Cr. No caso das ligas, a triagem consiste em, primeiramente, separar a mistura de materiais triturados para sempre passar o material pelo laser de tal forma que os pulsos de laser incidam sobre a superfície do material. Com isso, pequenas partículas de material evaporam. O espectro de energia emitido é simultaneamente captado e analisado, para que tanto as ligas como os componentes individuais de ligas de cada objeto sejam reconhecidos. Até sete tipos distintos de materiais são detectados na primeira parte da máquina e então, na segunda parte da máquina, arremessados por válvulas de ar comprimido em diferentes galpões de acordo com a composição de elementos. “A demanda por esse método de triagem com até 99,9% de precisão é crescente - os próximos pedidos já foram registrados nos livros de encomendas. O isolamento dos materiais e a descarga múltipla são de suma importância para os nossos clientes”, relata Uwe Habich, diretor técnico da STEINERT.

Mais informações sobre o tema: Feira do Alumínio em Düsseldorf, de 9 a 11 de outubro de 2018, salão 11, estande 11H60 - Jörg Schunicht, Product Manager e Key Account Manager da STEINERT (joerg.schunicht(at)steinert.de).

Sobre a STEINERT
A empresa STEINERT relembra uma história de mais de 125 anos: fundada em Colônia, na Alemanha, em 1889, a empresa familiar é hoje uma das líderes mundiais em separação magnética e classificação por sensores. Com 300 colaboradores, a STEINERT gera um volume de negócios anual de cerca de 100 milhões de euros. Além de 50 cooperações comerciais e joint ventures em todo o mundo, também fazem parte da empresa filiais na Alemanha, Austrália, EUA e Brasil.

Texto: Caracteres (com espaço): 3.554
Dados de imagem de alta resolução fornecidos mediante solicitação.
Imprima gratuitamente.
Pedir comprovante.