Compensou, sem dúvida.

Em 2019, a empresa STORK celebra 25 anos de existência e amplia a unidade de Leipzig com a mais avançada tecnologia de processamento por ímãs e sensores para cinzas de incineração de resíduos. No âmbito da recuperação de metais e do seu retorno ao ciclo econômico, optou-se agora por mandar equipar pela primeira vez uma instalação somente com equipamentos da especialista em separação, STEINERT. Por ocasião do aniversário de "25 anos da STORK", a STEINERT fornece assim, o 25º separador de metais não ferrosos à STORK.

Com uma capacidade anual de 250.000 toneladas de resíduos minerais de instalações de incineração de resíduos e um rendimento de 140 toneladas por hora, a instalação é uma das maiores no espaço econômico de Leipzig. Contando com 11 máquinas STEINERT que permitem uma recuperação eficaz de metais sob a forma de um concentrado de metais não ferrosos. Materiais com granulometrias a partir de dois milímetros que em seguida continua a ser separado no processo de flotagem. Neste âmbito são utilizados não só tecnologias magnéticas sofisticadas, como também 7 separadores de metais não ferrosos e a tecnologia de separação por sensores. Mas, a tecnologia inovadora por si só não é a solução.

Família STEINERT EddyC
No setor de separação de metais não ferrosos, o design do nosso novo STEINERT EddyC reúne confiabilidade e inovação.

  • Sistema de polo magnético disposto de maneira excêntrica
  • Estrutura autoportante para trocas rápidas da correia
  • Granulometria de 0,5 a 40 mm
  • Sistema de polos finos com alternância máxima na polaridade a uma velocidade de rotação de 4000 rpm
  • Lâmina de vértice ajustável na horizontal e vertical

Família STEINERT ISS
O sistema de triagem por indução STEINERT ISS é o complemento perfeito à separação magnética e por corrente de Foucault a fim de recuperar também os metais residuais de uma mistura de materiais.

  • Dois tipos de sensores com diferentes resoluções para adaptação ao tipo de aplicação
  • Granulometria de 1 a 200 mm

"Hoje em dia é preciso termos pessoas competentes e tudo, o que está à volta, tem de fazer sentido." O apreço da Stork pelos seus colaboradores também transparece na atual revista do cliente que a empresa dedica aos seus colaboradores, clientes e a todas as pessoas que lhe são importantes. Nela são apresentados não só classificadores manuais, serralheiros e diretores, como também as ferramentas essenciais a uma operação econômica. "Também temos de admitir que a STEINERT reconheceu que somos um parceiro especial – notamos isso", diz a Stork. "Como é óbvio nem sempre concordamos, mas o pessoal deles combina bem com o nosso. Isso dinamiza o negócio automaticamente e com muitos outros não é assim."

Por fim, essa confiança também se reflete no fato de ambas as empresas colaborarem há 15 anos ao longo dos quais aprenderam muito uma com a outra e a STORK se transformou de empresa processadora de escórias em empresa processadora de metal. "No final dos anos 90 começamos a tratar metais com muita dificuldade, empregando instalações de britagem, instalações de peneiramento, separadores por ar e um separador de metais não ferrosos." Após muitas conversões começamos a trabalhar com a STEINERT "então aprendemos naturalmente que havia maior potencial e construímos uma segunda instalação", à qual se seguiria mais tarde uma das primeiras instalações baseadas em sensores para a reciclagem de aço inoxidável. Entretanto já se consegue recuperar diariamente 21 toneladas de alumínio e 4 toneladas de cobre a partir das escórias. "Ainda assim estamos realmente só no começo. Houve uma grande evolução nos últimos dez anos. E ainda existe um potencial enorme. Em nossa empresa muita coisa ainda vai acontecer." O aumento da demanda de metais parece, de fato, inevitável. Segundo as estimativas, a demanda de metais duplicará ou, em partes, até mesmo triplicará até 2050. Para reduzir os efeitos sobre o ambiente, especialmente sob a forma de emissões de gases com efeito de estufa, a recuperação de metais a partir de cinzas é um dos numerosos modos de encontrar soluções para este dilema.

A colaboração estreita e o apoio junto à STEINERT são uma parte essencial da filosofia empresarial da qual todos beneficiam. Cooperou-se muito tempo na programação das novas instalações de sensor, mas também se obteve impulsos importantes para a implementação de raspadores para instalações de tratamento de cinzas que assim puderam ser concretizadas. "Em especial no início recebemos imenso material de teste da STEINERT e assim ficamos com uma perspectiva totalmente diferente sobre como proceder. Foi um tempo de muita aprendizagem e compensou, sem dúvida – foi o caminho certo." Ainda hoje nós frequentamos os treinamentos e o Centro de Testes da STEINERT para nos informarmos sobre as inovações e aplicações mais recentes. "Isso faz sentido."

"Nós pensamos a longo prazo."
Com sábia discrição, mandaram aprovar já em 1997 instalações móveis para o tratamento de escórias e cinzas, conseguindo agora planejar um grande investimento também em Leipzig com um processo de aprovação reduzido. Por ocasião do aniversário, a STORK inaugurou, assim, pontualmente a sua terceira instalação para o tratamento de cinzas e escórias em Leipzig – a terceira maior a seguir a Berlim e Magdeburg – apostando exclusivamente na tecnologia da STEINERT pela primeira vez no seu processo. "Baseamo-nos nas experiências de cinco instalações conjuntas e optamos por construir a instalação inteiramente com a STEINERT." Desse modo pode ser assegurada uma recuperação econômica e eficiente dos metais não ferrosos por via da tecnologia por corrente de Foucault, bem como do aço inoxidável mediante a tecnologia de separação por sensores.

"Graças a Berlim, Magdeburg e Leipzig, dominamos agora em larga medida a parte oriental da Alemanha."
Estão criadas as condições para mais 25 anos de história da empresa e já se encontram na mira novos desafios: não queremos apenas nos aproximar de mais estados federais alemães, "há que dizer que estamos vivenciando uma mudança de paradigma mundial. É preciso referir à China e Trump" que falam ao mesmo tempo de conflitos comerciais agravados, de requisitos mais elevados em relação à pureza da matéria-prima e às taxas de reciclagem, mas também do desejo de expandir para o estrangeiro. "Não prevejo que alguma vez deixarei de investir nessa visão" e também por estas vias a STEINERT, com sua tradição de 130 anos no desenvolvimento de tecnologias inovadoras e suas subsidiárias internacionais, será um parceiro confiável e oferecerá sempre uma solução com a classificação magnética e por sensores na reciclagem de metais e resíduos, bem como na mineração.