A missão de um homem para aprimorar a indústria de recuperação de recursos globais.

Ejvind Pedersen, empreendedor dinamarquês premiado em 2018, e a STEINERT trabalham juntos para tornar realidade a sua ideia de produção de circuito fechado.

Ejvind Pedersen é uma figura proeminente na indústria global quefornece recursos para o setor automotivo, transformando cinzas residuais em frações de metal puro com qualidade de matéria-prima primária.

O pai de Ejvind se mudou para a África na década de 1960 – uma decisão que fez ele se tornar o que é hoje, acredita Ejvind Pedersen. É a habilidade de assumir riscos, de sair de um ambiente seguro como a Dinamarca e buscar oportunidades e experiências ao redor do mundo. Após terminar os estudos escolares e voltar para a Dinamarca, ele ingressou em uma empresa da indústria de recursos que possuía fábricas na América do Sul. Depois de viver alguns anos na Venezuela, na Bolívia, na Colômbia e no Peru trabalhando como gerente técnico de seis plantas (e construir duas fundições de alumínio para fundir latas de alumínio), ele finalmente retornou com a sua família para a Dinamarca, para que seus filhos frequentassem a escola ali.

Aprender dos erros e ser movido por ideias e uma visão
O jovem Ejvind Pedersen não sentia orgulho do que presenciou as indústrias sul-americanas fazerem com o meio-ambiente e com o seu povo durante sua estadia ali. Ele então se empenhou em encontrar uma solução tecnológica de ponta para uma melhor recuperação de recursos. Seu foco era o processamento e a reutilização de metais, para reduzir a pegada de carbono e o impacto de resíduos perigosos.

Em 1989 Ejvind investiu oito milhões de euros na construção de uma planta para fundir latas na Dinamarca. Devido à queda do muro de Berlim, originou-se um excesso de reservas de metais baratos no mercado e 3 anos mais tarde ele foi à falência. “Eu perdi tudo”, ele lembra.

Em 2002 ele começou do zero e continuou a construir a empresa Scanmetals que conhecemos hoje. “Sue (seu primeiro funcionário, que continua na empresa) e eu, primeiro separávamos os metais não ferrosos do material limpo manualmente para conseguir um valor mais alto.” Ao acreditar em suas ideias, o empreendedor finalmente alcançou o sucesso novamente. A crise financeira de 2008 afetou sua empresa, mas dessa vez sua persistência e determinação fizeram-lhe avançar. “A STEINERT estava ali para me ajudar quando eu precisei de uma solução e eles me alugaram a sua máquina classificadora por raios X (XRT) para que eu produzisse produtos de alumínio limpos”, explica Ejvind. Assim teve início sua independência financeira, que lhe possibilitou expandir suas ideias por toda a Europa. Hoje, por causa do sucesso de Ejvind, existem muitas plantas de classificação diferentes que são usadas no refinamento de cinzas residuais para obter recursos primários.

O negócio hoje: tudo gira em torno dos metais não ferrosos finos
Ejvind conta que cinco anos atrás ninguém acreditava no potencial de partículas pequenas nas cinzas residuais. “Nós produzimos 4 caminhões de alumínio diariamente”, ele destaca, “pode-se imaginar como a indústria sempre ávida de recursos espera por eles!” Um fato importante é que essas indústrias não precisam extraí-los por meio da mineração primária. O seu relatório de sustentabilidade pode ser melhorado pelo uso de matérias-primas secundárias de alta qualidade.

O maior incinerador de Copenhague produz cerca de 240.000 toneladas de cinzas residuais por ano. “Nós vemos que aproximadamente 20% dos resíduos que vão para um incinerador terminam como cinzas residuais. Dois por cento dessas cinzas residuais correspondem a metais - fragmentos que variam entre 1-100 mm.”

No incinerador, a separação por corrente de Foucault é capaz de aumentar o valor nas cinzas residuais de 2% para até 50-60%. Esses 50-60% de cinzas residuais tratadas estão disponíveis para venda no mercado (aprox. 1.000 euros por tonelada). “Isso significa que pagamos 2.000 euros por 1 tonelada de metais. Os fragmentos pequenos são importantes para mim.”

Produção de circuito fechado com a tecnologia de separação e classificação precisa da STEINERT
O foco de Ejvind está no alumínio e nos metais de primeira qualidade adquiridos de fundidores secundários. Ele investe na tecnologia para remoção e redução de metais pesados livres e ligas de alumínio. O processo é iniciado com um separador de metais não ferrosos para recuperação de ZORBA das cinzas residuais. Em seguida, ocorre a extração de aço inoxidável por meio do sistema de triagem por indução.

O STEINERT XSS T (transmissão de raios X) produz alumínio extremamente limpo, separando metais pesados e alumínio de alta liga. O classificador detecta com uma exatidão tão elevada que consegue criar uma qualidade de produto de alumínio 99,9% puro.

O STEINERT KSS FLI XF (fluorescência de raios X) é uma solução de última geração para a separação de metais pesados em cobre, latão, zinco e metais preciosos. Foi atingido mais de 97% de pureza de produtos de metal pesado. 

Os clientes, como, p. ex., fundidores de alumínio, produzem latas de bebida quase 100% a partir da produção desse tipo de alumínio feita pela Scanmetals. É aqui que a abordagem de circuito fechado torna-se realidade. Na produção de latas de bebida, os produtores têm que extrair alumínio novo puro das minas. Os clientes do Ejvind estão muito satisfeitos com a qualidade dos recursos recuperados pela Scanmetals. Tanto que eles não precisam comprar alumínio das minas (alumínio primário). É uma situação vantajosa para todos, pois o comprador também pode melhorar suas taxas de sustentabilidade. Ademais, deve-se salientar que o alumínio recuperado também pode ser reciclado até 10 vezes sem perder sua qualidade.

A Scanmetals tem a tranquilidade de saber que pode obter todas as soluções magnéticas e de classificação por sensores que precisa de uma só fonte. Tais soluções incluem os separadores de metais não ferrosos, a separação por indução, a XRT e a XRF - elas basicamente tornam a vida mais fácil e permitem investir um tempo produtivo maior na criação de novas ideias de recuperação. 

 “Pode-se explicar assim”, diz Ejvind, “Não resta dúvida de que os carros alemães são os melhores do mundo. Isso é um fato”, ele afirma. Eu colocaria a STEINERT no mesmo patamar - eficiente como um Audi alemão e confiável como um Volkswagen alemão. Todos os meus funcionários da produção confiam neles. O manejo das máquinas é simples e todos os componentes técnicos são fáceis de entender e usar.”

A orientação consistente da Scanmetals para a demanda e o mercado garantem o seu êxito
A chave para o sucesso é não só a qualidade dos materiais, mas também o tempo de entrega dos recursos - dentro do prazo especificado. Isso torna máquinas confiáveis um fator crucial para o sucesso na recuperação de materiais. Quando a empresa fornece alumínio para fundidores - que distribuem dentro do prazo para marcas como a BMW - a Scanmetals também precisa fazer seus fornecimentos pontualmente. Ejvind Pedersen adaptou seu negócio às necessidades dos clientes e às demandas do mercado. 

Tempos de paragem representam uma situação crítica. “Se nos atrasássemos, outros fornecedores ganhariam a preferência dos clientes. Mas o nosso tempo de inatividade é muito reduzido”, admite Ejvind. O departamento de assistência técnica da STEINERT é muito competente e oferece ajuda imediata.”

Vencedor do conceituado prêmio “EY Entrepreneur of the year 2018”
Na cerimônia de premiação, a Ernst & Young concedeu a Ejvind Pedersen o prêmio de “Inovação”. A premiação se deve a sua contribuição para a indústria por meio de taxas notáveis de crescimento comercial, força inovadora e comprometimento social.

Em seu discurso de agradecimento, Ejvind aproveitou novamente a oportunidade. Para perguntar se alguém gostaria de investir em sua ideia e disseminá-la pelo mundo, criando empregos que poupam recursos. “Eu aprendi dos erros. Construí um negócio que é tão forte e uma ideia nova que tem muito futuro. Sempre enfrentei desafios, sempre vi possibilidades e tive êxito. Isso me deu confiança.”  

Ao ser questionado sobre o que torna esse prêmio especial, ele respondeu: “Ser reconhecido pelo meu trabalho. Eu senti que logrei algo nessa vida. Eles viram minhas ideias e perceberam que eu posso torná-las realidade. Também é isso que o prêmio significa: “Ser um empreendedor”. 

Uma semana após receber o prêmio, Ejvind vivenciou mais êxito. A família da Lego entrou em contato com ele e fechou uma parceria com sua empresa. Eles acreditam em suas ideias e planejam investir na expansão de seus próximos projetos na Europa - para que as matérias permaneçam dentro do circuito.

Ao longo de suas experiências de vida, Ejvind conseguiu aprender 7 idiomas diferentes e se tornou uma pessoa cosmopolita e culta. Esses desafios, atributos e proezas contribuem para a pessoa excepcional que ele é hoje. A STEINERT tira o chapéu para esse premiado empreendedor e espera poder continuar trabalhando com ele e suas ideias no futuro.

Por último, mas não menos importante:
A Scanmetals é capaz de construir uma nova planta e colocá-la em funcionamento em até um ano após a concessão da licença ambiental. A nova planta é gerenciada por eles mesmos, em joint ventures ou em cooperação. Entre em contato com Ejvind Pedersen para obter mais informações sobre futuras cooperações (ep(at)scanmetals.com).

Sobre a STEINERT
A STEINERT tem 130 anos de história: fundada em 1889 em Colônia, a empresa familiar é uma das líderes mundiais em classificação por sensores e separação magnética na indústria de mineração, sucata e reciclagem de resíduos. Com 300 colaboradores, a STEINERT gera um volume anual de negócios de aproximadamente 100 milhões de euros. Além das 50 parcerias comerciais e joint ventures ao redor do mundo, a empresa tem subsidiárias na Alemanha, na Austrália, nos EUA e no Brasil.